Páginas

Campanha do Agasalho – A importância de doar

Com ondas de frio batendo recordes, o inverno de 2021 vem sendo o mais rigoroso em muito tempo. Mais do que nunca, a população de baixa renda e aqueles que se encontram em situação de rua têm necessidade de ajuda urgente. Questão de sobrevivência!

Foto: divulgação

Em todos os invernos, a população ouve a respeito das campanhas do agasalho. São diversas instituições que assumem essa campanha, desde igrejas até os condomínios, além dos escoteiros e também das escolas, dentre outros. Todavia, ainda são relativamente poucos os agasalhos arrecadados, considerando a quantidade de indivíduos que precisam dessas doações.

É por isso que entender a importância de doar é indispensável para que as pessoas fiquem mais envolvidas. De fato, os benefícios de fazer a doação de agasalhos não são somente para aqueles que recebem: até mesmo aqueles que doam têm muito retorno.

Quem são as pessoas que recebem as doações?

O perfil das pessoas que recebem as doações de agasalhos é vasto: muitas são as que moram na rua, devendo-se lembrar que o Brasil tem tido invernos bastante severos. Por causa disso, é grande a quantidade de sem-teto que têm ficado seriamente doentes e até mesmo morrido por não estarem devidamente protegidos contra o frio.

Outras pessoas que recebem as doações de agasalho são as que vivem em condições precárias e que não possuem renda suficiente para adquirir blusas e roupas mais pesadas. Também é comum que instituições de caridade recebam esses agasalhos: há as casas de idosos, por exemplo, bem como os orfanatos nos quais há muitas pessoas para serem agasalhadas. Considerando que esse tipo de instituição não costuma ter tanta verba e que alguns familiares dos idosos não cooperam tanto, as doações são vitais.

Algumas das campanhas do agasalho podem ajudar ainda outro tipo de público, como nos casos em que acontecem catástrofes naturais, por exemplo, ou na ocorrência de incêndios e outras situações onde as pessoas ficam vulneráveis até mesmo com relação aos agasalhos. É indicado, entretanto, que aqueles que anunciam a campanha do agasalho comuniquem claramente para quem essas roupas irão.

Por que quem doa também se beneficia?

As pessoas que decidem doar agasalhos conseguem mais espaço livre, por exemplo: muitas vezes, existem diversas roupas que estão sem uso há anos e até mesmo acumulando ácaros. É claro que tantas peças acumuladas também farão com que o ambiente fique desorganizado e não haverá espaço para que se coloquem outras roupas mais novas.

Doar agasalhos também tem a capacidade de fazer com que o indivíduo se sinta mais humano. Afinal, todos sabem como é desagradável sentir frio, além dos males à saúde. Dessa maneira, é certo que fazer a doação dessas roupas fará com que o doador sinta que está tendo utilidade para outra pessoa alcançar o bem-estar.

Onde doar

Costuma ser fácil localizar alguma instituição que esteja fazendo campanha do agasalho: vale buscar em Igrejas do bairro, por exemplo. Outra possibilidade é buscar na Internet por campanhas do agasalho que estejam ocorrendo na cidade e há supermercados que costuma deixar uma caixa de papelão na sua entrada com a identificação de que é uma campanha. Para quem não encontrar uma campanha do agasalho em andamento, pode-se simplesmente contatar alguma instituição e dizer que há roupas para doar. Outra boa opção: faça contato com a prefeitura e consulte

Fonte: Action 360

Veja 6 direitos que todo aposentado tem e nem sempre sabe

Benefícios garantidos pela lei podem ajudar em uma aposentadoria mais tranquila, diz advogado

Foto: Andrea Piacquadio/Pexels

Além do direito a receber o benefício garantido pela sua contribuição ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), o aposentado também tem alguns outros direitos garantidos pela legislação e que muitos desconhecem.

"Esses direitos podem garantir uma aposentadoria mais digna e também auxiliar na manutenção de um projeto de vida mais tranquilo", diz o advogado especializado em Direito Previdenciário João Badari, do Aith, Badari e Luchin Advogados.

Confira 6 direitos que todo aposentado tem e nem sempre sabe

1) Saque do FGTS - Assim que se aposenta, o trabalhador tem direito a sacar todo o dinheiro do Fundo de Garantia, o FGTS.

Caso continue trabalhando na mesma empresa, o aposentado poderá sacar mês a mês os novos os depósitos. "Mas se mudar de empresa, o saque volta a seguir as regras normais de saque da conta fundiária", explica o advogado.

2) Acumulação de pensão por morte com a aposentadoria - O aposentado pode acumular a sua aposentadoria com a pensão por morte, independente desta ser anterior ao pedido de aposentadoria.

3) Manutenção do plano de saúde - Nos casos de trabalhadores que arcam com uma parcela do pagamento mensal do plano de saúde fornecido pela empresa, ao se aposentar eles terão direito de continuar a usufruir do convênio, desde que assumam o pagamento da cota que o empregador pagava.

Se não fizer essa opção no momento da rescisão, não poderá mais recontratar o plano.

4) Quitação do imóvel financiado em caso de invalidez - Caso um trabalhador se aposente por invalidez e tenha um imóvel financiado, a incapacidade para o trabalho lhe garante não apenas o benefício previdenciário, mas também a quitação de seu imóvel caso ela ocorra. "É necessário verificar seu contrato de financiamento, pois muitos contratos garantem essa quitação antecipada em caso de invalidez", diz Badari.

5) Direito ao transporte urbano e interestadual gratuitos - Esse direito vale para os meios de transportes urbanos como ônibus, trem e metrô, é um benefício concedido aos idosos maiores de 65 anos, porém a idade para ter acesso a esse direito pode ser menor em algumas cidades.

No caso deste direito ser exercido em viagens interestaduais, duas vagas em cada veículo de transporte devem ser reservadas para o transporte gratuito de idosos maiores de 65 anos com renda igual ou menor a dois salários mínimos. No ato da compra de passagens deve-se apresentar documento com foto e comprovante de renda.

6) Prioridade de restituição do imposto de renda - Contribuintes com 60 anos ou mais têm o direito a receber antes a restituição do Imposto de Renda. Mesmo que caiam na "malha fina", o direito é garantido e também têm prioridade na correção de falhas na declaração.

Como garantir esses direitos?

Todos estes direitos estão garantidos por lei, então caso o aposentado do INSS não consiga o acesso a estes benefícios pode tentar resolver por via administrativa solicitando primeiro no órgão competente. "Caso ainda não tenha seu direito respeitado, pode ingressar na Justiça", explica o advogado.

Por: Sophia Camargo | Fonte: R7

Quais serviços voltam a ficar disponíveis nas agências do INSS?


Foto: divulgação

O INSS abriu agendamento para atendimento presencial em suas agências. A população que desejar resolver alguma pendência previdenciária deve ficar atenta. Através do portal 135, os servidores do órgão estarão marcando horário para consultas em uma de suas unidades. Saiba quais procedimentos serão realizados. Com a pandemia do novo coronavírus, manter o INSS de portas abertas tem sido um grande desafio. Parte significativa do público beneficiário do órgão faz parte do grupo de risco de contaminação pela covid-19, o que inviabiliza os atendimentos presenciais.

Nova reabertura das agências do INSS

No entanto, atentos há necessidade de resolver solicitações e casos específicos, o INSS acaba de abrir uma nova central de marcação através do 135.

O cidadão deve ligar para o órgão e explicar seu caso, fazendo com que o servidor analise sua situação e determine a emergência do atendimento presencial.

Joseane Zanardi Parodi, coordenadora do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), explica que o novo protocolo do INSS é essencial para reduzir a fila de espera do órgão. Há milhares de brasileiros com abonos suspensos justamente por não conseguirem regularizar sua situação.

“É um grande avanço, pois, por mais de um ano, o atendimento presencial esteve praticamente suspenso, com poucas possibilidades. Com essa portaria, será possível solucionar várias ocorrências, como problemas com empréstimo consignado, prova de vida para maiores de 80 anos ou deficientes, entre outros“, explicou.

Quais serviços serão atendidos?

  • Portadores de necessidades especiais (maiores de 80 anos de idade, deficiência auditiva ou visual);
  • órgãos mantenedores inválidos que, por isso, impossibilitam a solicitação de serviços; consultas à consignação administrativa;
  • Pensão especial vitalícia da pessoa portadora da Síndrome da Talidomida;
  • Pensão mensal vitalícia do seringueiro e de seus dependentes; e pensão especial das vítimas de hemodiálise de Caruaru (PE).
  • Casos de solicitação de retificação da Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT);
  • Casos de parcelamento ou impugnação à cobrança administrativa do monitoramento operacional de benefícios presencial (MOB Presencial);
  • Casos em que seja necessária a ciência do cidadão sobre a necessidade de inscrição no CadÚnico (registro do governo federal sobre as famílias de baixa renda, por meio do qual o cidadão pode participar de programas sociais);
  • E, demais casos em que haja “impossibilidade de informação ou de conclusão da solicitação pelos canais remotos”.

Por: Eduarda Andrade | Fonte: .fdr

Idosos: mais da metade deixou de pagar alguma conta nos últimos meses

Diminuição da renda é o principal motivo; 42% afirmam que padrão de vida piorou na terceira idade e 49% não possui reserva financeira

Foto: Sabine van Erp/Pixabay

Levantamento realizado em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com a Offer Wise Pesquisas, apontou que 54% dos idosos deixaram de pagar ou pagaram com atraso alguma despesa nos últimos seis meses, um avanço de 17 pontos percentuais com relação à pesquisa de 2018. Entre os principais motivos que impossibilitaram o pagamento ou geraram o atraso das contas estão a diminuição da renda (31%), a falta de planejamento dos gastos (14%) e a redução da renda de algum familiar (10%). As principais contas em atraso destacadas pelos idosos entrevistados foram luz (24%), cartão de crédito (20%), água (17%) e IPTU (15%).

Outro dado preocupante diz respeito à reserva financeira. De acordo com a pesquisa, 49% dos entrevistados relatam que não possuem recursos guardados, enquanto 39% possuem (sobretudo as classes A e B), sendo que 31% mantêm para imprevistos, 8% para a realização de sonhos e 6% para a aposentadoria.

O levantamento aponta que 63% dos que não têm reservas justificaram que nunca sobrou dinheiro (sobretudo nas classes C/D/E). Outras justificativas foram a pouca sobra de dinheiro e a descrença de poder juntar um bom valor a longo prazo (26%), o gasto da reserva financeira que possuía (19%) e a falta de disciplina para juntar dinheiro (17%). Entre os que têm uma reserva financeira, 33% estão utilizando os recursos e 47% não estão utilizando agora, mas já utilizaram em algum momento, enquanto 19% nunca utilizaram.

De acordo com o levantamento, 33% dos entrevistados satisfazem mal ou muito mal as suas necessidades com a renda própria ou familiar, 31% declaram que essa renda é a conta certa e 32% dizem satisfazer bem ou muito bem.  Para 31% dos idosos o padrão de vida está melhor hoje do que quando tinha 40 anos. Porém, 42% consideram que piorou e para 21% está igual.

Entre os principais gastos mensais apontados pelos idosos, 76% mencionaram a alimentação, 71% as contas básicas, 58% remédios, 51% telefonia e 51% TV por assinatura e internet.

“Construir uma reserva financeira é a garantia de que a pessoa terá meios para lidar com os diversos imprevistos que podem surgir no futuro e cuidar bem da saúde, aliás, não somente os idosos, mas independentemente da idade, todos estamos sujeitos a problemas e precisamos ter um dinheiro guardado” destaca Costa.

De acordo com a pesquisa, 37% dos idosos entrevistados citaram os investimentos como forma de preparo para a aposentadoria. Velha conhecida dos brasileiros, a poupança ainda hoje é a mais escolhida (12%). 11% citaram outras modalidades, como fundos, ações e CDBs, por exemplo. Imóveis e previdência privada foram citados por 8% dos idosos entrevistados. Além disso, foram declarados como forma de preparo o INSS (32%) e a abertura do próprio negócio (18%), enquanto 14% dizem não ter se preparado ou não estar se preparando para o futuro.

O acesso ao crédito, empréstimos e uso de produtos financeiros são fatores que impactam diretamente no orçamento familiar. De acordo com o levantamento, 78% dos idosos declaram que têm conta corrente e 72% possuem cartão de crédito. Além disso, 52% já têm a chave PIX cadastrada, 47% empréstimo consignado e 41% plano de saúde.

Na pesquisa, 71% dos entrevistados afirmaram que, no último mês, não compraram algo de que não precisavam pela facilidade do crédito, um aumento de 25 pontos percentuais em comparação a 2018. No entanto, 23% adquiriram algo sem necessidade, sobretudo celulares (5%), roupas (5%) e eletrodomésticos (5%).

Fonte: Mercado Mercantil

Atenção! Prova de vida do INSS através do WhatsApp é falsa


Foto: tirachardz/Freepik

É preciso estar atento para não cair em um golpe ao realizar a Prova de vida do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Isto porque, bandidos estão utilizando o aplicativo WhatsApp para aplicar fraudes, sendo que a Prova de Vida só é possível digitalmente através da plataforma do Governo Federal.

Este cenário se fez possível, a partir dos avanços na comunicação dos serviços públicos, bem como o app “Meu INSS”. Sendo assim, os golpistas se aproveitam desta situação para confundir o segurado. Além disso, pelo fato do aplicativo ser muito utilizado entre os brasileiros fica mais fácil de aplicar o golpe.

Como se prevenir deste golpe?

Para evitar que suas informações caiam em mãos erradas, é necessário entender o modus operandi dos golpistas, ou seja, como o golpe funciona. 

Neste sentido, o público alvo deste tipo de fraude, são aposentados e pensionistas do INSS. Desta forma, primeiramente os bandidos, enviam uma mensagem ao segurado dizendo, que em decorrência da pandemia da covid-19, a Prova de Vida poderá ser feita diretamente pelo WhatsApp e que eles irão lhe auxiliar nesse processo. A partir disso, eles começam a solicitar dados da vítima, bem como, fotos de documentos e do rosto, senhas,  além de outras informações de cunho pessoal. 

Entendido isso, caso alguém lhe envie alguma mensagem deste tipo no WhatsApp, esteja atento que é um golpe. Apenas ignore e bloqueie o contato. 

Quais são os riscos para segurado ao cair no golpe?

Uma vez que as informações estão em posse do golpista, ele poderá realizar diversos procedimentos em nome do segurado, como solicitar cartões de crédito, abrir contas, pedir empréstimos, etc. 

Assim sendo, é de suma importância estar ciente para quem você está enviando suas informações pessoais

Onde posso realizar a Prova de Vida? 

Com o intuito de também garantir sua segurança, é importante saber onde pode-se realizar sua prova de vida. Como introduzido, todas as informações em relação a este processo são de meios de comunicação oriundos do governo. 

Assim sendo, a prova de vida pode ser feita da seguinte forma: 

  • Acesse o aplicativo “Meu Gov.br” (disponível para todos os smartphones); 
  • Cadastre sua senha (em caso de primeiro acesso);
  • Vá em “autorizações” depois em “Realizar Validação”;
  • Vá em “permitir” para autorizar o aplicativo acessar sua câmera;
  • Informe os dados solicitados;
  • Faça a leitura de imagem do seu rosto, seguindo os comandos na tela; 
  • Feito isso, sua Prova de Vida estará realizada. 
  • Importante: Só é possível realizar este procedimento digitalmente, caso o segurado já possua a Carteira de Habilitação Nacional (CNH) digital, ou tenha já tenha feito o recadastramento do Título de Eleitor. 

Desta forma, você pode enviar dúvidas pelo aplicativo “Meu INSS”, ligando 135 ou por e-mail. Além disso, o segurado pode receber notificações do INSS pelos mesmos meios de comunicação. Vale ressaltar que nenhum deles irá lhe enviar uma mensagem solicitando informações pessoais.

Por: Lucas Machado | Fonte: Jornal Contábil

É possível antecipar Saque Aniversário do FGTS a partir de 1,99% ao mês

Nova modalidade de empréstimo tem uma taxa de juros inferior a outros produtos do mercado e está disponível até para quem estiver ‘negativado’

Foto: divulgação

Todos os trabalhadores que possuem saldo no Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) podem alterar para a modalidade do Saque Aniversário pelos canais digitais do FGTS da Caixa. A partir da solicitação feita, basta o cliente autorizar que a operadora de crédito visualize o seu saldo do FGTS para contratar sua antecipação.

O Saque Aniversário do FGTS é uma modalidade de saque do fundo de garantia lançada ao mercado em 2019 que permite que o trabalhador com saldo no FGTS saque anualmente, em seu mês de aniversário, uma alíquota de seu saldo no fundo, acrescida de uma parcela adicional, de acordo com uma tabela estabelecida pelo Governo. 

Segundo a Caixa, atualmente, há mais de R$ 434 bilhões em recursos depositados nessas contas de dezenas de milhões de pessoas, e que poderiam estar circulando na economia.

O que é FGTS?

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) foi criado com o objetivo de proteger o trabalhador demitido sem justa causa, mediante a abertura de uma conta vinculada ao contrato de trabalho.

No início de cada mês, os empregadores depositam em contas abertas na Caixa, em nome dos empregados, o valor correspondente a 8% do salário de cada funcionário.

O FGTS é constituído pelo total desses depósitos mensais e os valores pertencem aos empregados que, em algumas situações, podem dispor do total depositado em seus nomes.

Fonte: Exame

Revisões do INSS que podem aumentar salário e aposentadoria


Foto: Robert Owen-Wah/Pixabay

Revisões do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que vão poder ajudar a aposentados e pensionistas. Geralmente, as revisões são solicitadas devido a erros cometidos pelo Instituto. E são possíveis de corrigir através de ação judicial.

O aposentado vai precisar verificar se todos os vínculos e salários estão corretos. Usando a carta de concessão do benefício como base e os cálculos realizados pelo INSS. A legislação deve sempre ser observada, principalmente devido a mudanças que acontecem. Uma delas foi a Reforma da Previdência.

Sempre é bom o aposentado que quer fazer uma revisão de sua aposentadoria, ter ajuda de um advogado. Isso porque, deverão ser realizados cálculos, verificação de documentos e uma análise que podem aumentar ou reduzir o valor. Por isso, sempre é bom ter ajuda de um especialista, porque nem sempre é aconselhável pedir uma revisão.

Revisões que podem aumentar o valor do seu benefício

Revisão do artigo 29 - O INSS, entre os anos de 2002 e 2009 calculou a média salarial do auxílio-doença, aposentadoria por invalidez e pensão por morte sem retirar os salários menores. No entanto, o Instituto ignorou a Lei 9.876 que define que a média salarial seja com base nos 80% dos maiores salários de contribuição. Após uma ação civil movida pelo Ministério Público Federal do Sindicato dos Aposentados (Sindnapi), o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) acabou reconhecendo o erro.

O que possibilitou o pagamento de atrasados até 2022. Está revisão é a para os que recebem o benefício por incapacidade e pensões por morte e que foram concedidos entre 17 de abril de 2002 e 19 de agosto de 2009. Mas, o pedido só é válido se não foi feito o descarte dos 20% menores salários.

Aposentadoria especial - Para quem exerceu profissão prejudicial à saúde vai ter direito à aposentadoria especial. Sendo que, se esse período não abrangeu a vida toda do profissional, será possível usar como bônus e converter em tempo comum.

A cada ano especial convertido em tempo comum terá um acréscimo de 20% para as mulheres e 40% para os homens. Para isso, será preciso apresentar o Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP) para poder comprovar. Só será possível para quem exerceu alguma profissão insalubre até 13 de novembro de 2019.

Revisão para incluir ação trabalhista - Para o aposentado que venceu alguma ação trabalhista e comprovou que tem vínculo de trabalho que não estão registrados poderá solicitar a revisão. Isso também valerá no caso de contribuições que não foram contabilizadas para a aposentadoria.

Revisão para quem teve dois empregos na mesma época

Vai poder pedir a revisão, o trabalhador que teve dois empregos no mesmo período e não tem o benefício limitado ao teto do INSS. Desde 18 de junho de 2019, O INSS soma os dois salários de contribuição de atividades concomitantes, no entanto, os segurados que trabalharam em dois empregos com registro em carteira na mesma época, mas, o cálculo do INSS não foi vantajoso, poderá pedir a revisão.

Revisão de erro de cálculo - Em alguns casos, as empresas e o INSS cometeram erros, o que acaba afetando o cálculo da aposentadoria. É comum acontecer erros no valor do salário, usar apenas um número do PIS ou NIT, deixar de contar as contribuições, deixar de incluir o tempo de trabalho rural e não converter em tempo especial em comum com bônus.

Para solicitar as revisões do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) serão necessários os seguintes documentos: RG e CPF; cópias de recibos que provem salários maiores; cópia do PPP, para quem vai pedir tempo especial; cópia do holerite para provar que o salário era maior do que o considerado na conta do INSS; cópia de ação trabalhista em que o segurado saiu vitorioso, com assinatura do funcionário do cartório; carta de concessão do benefício; cadastro Nacional de Informações Sociais (Cnis).

Por: Jorge Roberto Wrigt Cunha | Fonte: Jornal Contábil